PALAVRAS DE ORDEM

PALAVRAS DE ORDEM

É na varanda do seu apartamento paulistano que a artista plástica Adriana Mattos encontra tranquilidade e inspiração. “Não sei viver sem aconchego e harmonia”, avisa.

Como você compôs este espaço?

Quando mudei para este apartamento no Jardim Paulista fiz uma reforma e dupliquei o tamanho da varanda ao abocanhar um pedaço da sala de estar. Depois forrei o piso com este ladrilho hidráulico que adoro, presente do meu irmão (o arquiteto Gui Mattos), e fui decorando o espaço aos poucos, conforme encontrava peças bacanas pelo caminho. A base da minha casa é neutra, toda preta e branca, e aproveito para inserir graça nos ambientes com peças coloridas. Os pufes de resina vieram de um antiquário e o banco de gnomo desenhado por Phillipe Stark encontrei na Kartell.

O que este canto tem de especial?

É onde gosto de ler, tomar café da manhã e pensar nos meus projetos. Curto também ficar aqui com meus filhos Johnny, 17 anos, e Antonio, 14, e também com meus gatos Kitto e Kitty. Em noite de festa, é aqui que os amigos gostam de se reunir

Qual o item mais importante aqui?

Meu quadro, Código de barras, uma colagem de acrílico sobre acrílico. Nessa série, números são substituídos por frases bem-humoradas como esta “Stay human”, ou seja, permaneça humano.

O que seu canto diz sobre você?

Que aconchego e harmonia são palavras-chaves na minha vida.

Compartilhar