Além do Saber

Além do Saber

Com uma agenda de encontros criativa, a Casa NEO10, de Paulo do Amaral Rocha e Dani Fontana Tranchesi, quer proporcionar ideias inspiradoras que ampliem o horizonte dos frequentadores.

Organizar uma viagem de aniversário para 14 casais no Marrocos, uma festa em St. Barths, no Caribe, encontros corporativos de grandes empresas ou casamentos em qualquer parte do mundo. Assim era a agenda de trabalho das produtoras de eventos Paula do Amaral Rocha, 46 anos, e Dani Fontana Tranchesi, 46, sempre ocupadas com os desejos mais exigentes de seus clientes. Amigas desde a época em que estudavam para o vestibular da Escola Superior de Propaganda e Marketing, as duas decidiram mudar de vida em 2004, quando criaram a produtora de eventos Neo10. Antes, Dani havia sido decoradora de interiores por dez anos, e Paula trabalhara na indústria de alimentos por cinco anos, organizando feiras e eventos em diversos países.

Há dois anos, as sócias decidiram mais uma vez mudar o rumo da carreira e dos negócios. Durante a organização de um seminário de educação, a dupla percebeu que poderia começar a atender aos próprios desejos. “Produzimos o evento daquele dia e resolvemos ficar para conferir algumas palestras. Foi então que presenciamos as pessoas em um momento de aprendizado e nos demos conta de que gostaríamos de trabalhar com o saber”, diz Paula.

Como concretizar ideias já era especialidade da dupla, elas resolveram transformar o escritório da empresa de eventos na Casa Neo10. O charmoso sobrado, localizado na Vila Madalena, passou a oferecer aulas de temas variados. “Meus amigos dizem que nosso critério de seleção de cursos é muito maluco, e é mesmo. Escolhemos organizar aulas que gostaríamos de frequentar, e por isso não há restrição de temas”, completa Paula.

Dani-Fontana-Tranchesi-e-Paula-do-Amaral-Rocha

A dupla prefere chamar as atividades de “encontros”, e não de “aulas”, para evitar a relação passiva aluno-professor. Para elas, a ideia de troca é fundamental para uma experiência completa. “Achamos importante mostrar que o aprendizado extrapola as barreiras da escola formal. Os encontros mais bacanas são aqueles em que cada participante agrega alguma coisa”, diz Dani.

Na casa branca de tijolos, a sala decorada com cadeiras coloridas e mesas de madeira lembra uma área de recreação infantil, e as luzinhas na varanda do piso superior ajudam a criar o clima despojado. Por lá acontece uma média de cinco cursos por mês, frequentados por grupos de 15 a 20 pessoas.

Os temas podem variar de meditação com tambores, um dos mais procurados, astronomia, musicoterapia para gestantes, ioga, “café com Malévola” – que debate a nova estrutura dos contos de fada – ou até mesmo como organizar seu iPad – um hit de inscrições, frequentado por mulheres na faixa dos 50 anos.

Além dos encontros promovidos na Casa Neo10, Dani e Paula pretendem levar alguns dos cursos a empresas e já organizam também viagens. No final de agosto elas reuniram um grupo de dez pessoas para um workshop com o fotógrafo Feco Hamburguer no Deserto do Atacama, no Chile, e no Salar de Uyuni, na Bolívia. A experiência incluiu uma palestra de Walmir Thomazi Cardoso, presidente da Sociedade Brasileira para o Ensino da Astronomia,
para os participantes da expedição.

As dupla diz que o maior objetivo do negócio é desenvolver temas ligados ao bem-estar e proporcionar ideias inspiradoras que ampliem as perspectivas das pessoas e aumentem seus horizontes. “Queremos ajudar a gerar conhecimento que sirva para alinhar corpo, mente e alma”, diz Dani, que, além da formação em marketing e ioga, é fotógrafa.

A mudança profissional deixou até a vida pessoal das sócias diferente. Dani, que sempre foi mais caseira, comemora o fato de não ter que trabalhar mais aos fins de semana e poder ficar mais tempo com o filho, Pedro, 21. Paula conta que diminuiu bastante a frequência às mesas de restaurantes e aos eventos sociais. “Agora faço ioga três vezes por semana, medito todos os dias e passei a conviver com pessoas que querem mais da vida. E isso é uma rede que acaba influenciando quem está por perto a querer evoluir”, diz. Os reflexos já começam a ser sentidos dentro de casa. “Outro dia, meu filho mais novo [ela é mãe de mãe de Gustavo, 16, e Enrique, 14], que estava tendo alguns problemas na escola, perguntou: ‘Mãe, vocês vão ter algum curso para controle de raiva?’”, diverte-se Paula.

Compartilhar